Início / Aconteceu

Arquivos Categoria: Aconteceu

Feed Subscription

Cursos e treinamentos são ministrados pelo Senar durante a 49ª Expoimp

Governador Flávio Dino durante entrega de certificados a produtores capacitados pelo Senar

Governo estadual, Senar, Sinrural e produtoras rurais, no curso de Derivados do Leite

O Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) levou para a 49ª Exposição Agropecuária de Imperatriz (Expoimp), diversas  ações voltadas para os produtores rurais do sul do estado por meio de cursos e treinamentos envolvendo produtores assistidos pelo Programa Mais Produção, desenvolvido pelo governo do estado onde o SENAR tem uma forte parceria, visando criar dinâmica no  fortalecimento do agronegócio naquela região.

O programa Mais Produção do Governo do Estado é executado pelo Senar e atende 1.550 propriedades rurais com assistência técnica e gerencial (ATeG), nas cadeias produtivas de carne e couro, leite, piscicultura, hortifruti e arroz.

A Expoimp 2017 ocorreu no período de 8 a 16 de julho, no Parque de Exposições Lourenço Vieira da Silva, com a realização do Sindicato dos Produtores Rurais de Imperatriz (Sinrural), sob a direção de Renato Pereira.

No local, o Senar em parceria com o Governo do Estado (Sagrima, Agerp e Aged) manteve espaço (estande), com vistas a receber o produtor rural e encaminhá-lo para as capacitações. Também foram recebidos: o Governador Flávio Dino, o secretário da Sagrima, Márcio Honaiser, o secretário adjunto, Edjailson Souza, o presidente da Aged, Sebastião Anchieta, o deputado federal, Weverton Rocha, dentre outras lideranças políticas e rurais da região.

O superintendente do Senar no Maranhão, Luiz Figueirêdo e equipe comandou os trabalhos  dentro e fora do estande, assim como a entrega de certificados de cursos realizados pelo programa Mais Produção, em Imperatriz e nas cidades vizinhas. A solenidade foi realizada na presença do governador, do secretário de agricultura do estado e de outras autoridades.

Treinamentos

Considerando a vocação da região, foram ofertados quatro cursos/treinamentos, tais como: Inseminação Artificial de Bovinos, Irrigação e Drenagem, Montagem de Cerca Elétrica e Derivada do Leite.

Queijo, ricota, iogurte, doces, requeijão cremoso, bebidas lácteas, leite condensado e o queijo cremoso cheddar, encheram os olhos e entusiasmaram os produtores rurais de Imperatriz, Davinópolis, João Lisboa e Buritirana. Todos ávidos por conhecimento. O leite para a elaboração de tais itens foi doado por produtores participantes e expositores.

Com esses ocorridos durante a Expoimp/2017, somam-se mais de dez cursos ofertados, recentemente, com o objetivo de  aperfeiçoar  o aprendizado do produtor, fazer gerar ocupação e renda, e ainda, melhorar a qualidade de vida do homem do campo.

“O treinamento ensina as boas práticas  para a produção de itens feitos a partir do leite. Temos toda a satisfação de trabalhar com o produtor rural, e poder contribuir  com a melhoria de vida de cada um deles”, disse Ana Joaquina, instrutora do Senar.

Já Luiz Figueiredo classificou o trabalho em Imperatriz como de grande importância para o produtor rural. “Foi muito importante a realização desses cursos, pois deu uma satisfação a toda a sociedade rural e urbana da região tocantina, do trabalho sério que o governo do estado em parceria com o Senar vem desenvolvendo em apoio aos pequenos e médios produtores da região, contribuindo, fundamentalmente, para que o programa Mais Produção alcance as metas planejadas”, destacou ele.

Segundo Márcio Honaiser, a  Faema e o Senar estão entre os maiores parceiros do Governo do Estado. “Tanto no convênio para oferecer assistência técnica e gerencial a 1.550 propriedades, quanto nas ações que realizamos em conjunto nas feiras agropecuárias. Para o setor produtivo, uma parceria como esta é fundamental, para termos bons resultados”, acentuou o secretário da Sagrima.

 

Agropecuária mantém liderança na oferta de emprego em junho

Dados divulgados pelo governo mostram força do agro no total de novas carteiras assinadas

 Brasília – A agropecuária foi, mais uma vez, o destaque positivo no saldo de carteiras assinadas em junho. O setor liderou a oferta de vagas com 36.827 novos postos de trabalho, segundo números do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho.

Segundo Comunicado Técnico do Núcleo Econômico da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), os setores do agro que apresentaram melhor desempenho em junho foram café, atividades de apoio à agricultura, laranja e soja.

O cultivo de café, principalmente em Minas Gerais, resultou em 10.804 novas vagas. Já as atividades de apoio à agricultura ofereceram 10.645 novos postos, concentrados especialmente em São Paulo.

Com o cultivo de laranja foram 7.409 vagas, a maior parte em São Paulo. E, por último, o setor de soja criou outros 2.480 postos, liderados por Mato Grosso, segundo a CNA.

Fonte: CNA

Inscrições para seleção do Curso Técnico em Agronegócio do SENAR só até esta 5ª feira

Os interessados em participar da seleção para o  Curso Técnico em Agronegócio do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR) ainda têm tempo para se inscrever no portal http://etec.senar.org.br/. O prazo termina às 23h59 desta quinta-feira (20/07) e não será prorrogado.

Já o período de aplicação das provas foi ampliado até o sábado (22/07), mas quem deixa para fazer inscrição na última hora corre o risco de não conseguir vaga para o exame, que é presencial, feito em computador disponibilizado no polo de escolha do candidato, em data e horário definidos no ato da inscrição. O número de vagas para as provas depende, portanto, da estrutura de cada polo.

Lançado há apenas dois anos, com a implantação da Rede e-Tec Brasil SENAR, o Curso Técnico em Agronegócio é cada vez mais concorrido. Nesta seleção, com as inscrições ainda em curso, mais de 13 mil candidatos já disputam as 2.055 vagas oferecidas em 55 dos 99 polos da rede espalhados pelo País. Recém-inaugurado, o polo de Goiânia é o que concentra maior número de candidatos por vaga, com 787 inscritos para as 40 vagas oferecidas,  numa proporção de 19,7.

Certificado pelo Ministério da Educação e Cultura (MEC) e reconhecido pelos Conselhos Regionais de Engenharia (Creas), o Curso Técnico em Agronegócio prepara profissionais para atuar nos diversos ramos  do setor agropecuário, seja na gestão de propriedades rurais, em agroindústrias, ou empresas de consultoria e assistência técnica. Um amplo e crescente mercado de trabalho, cada vez mais carente de mão de obra qualificada, que atraiu o administrador de empresas Rafael Coelho Barros.

“Vi no Curso Técnico em Agronegócio do Senar a oportunidade que esperava para adquirir os conhecimentos necessários e  poder atuar no agronegócio, um setor que é muito forte na região onde eu vivo. Foi a força que eu precisava” Rafael acaba de concluir o curso no polo de Balsas (MA), conhecida como “a cidade do agronegócio” e responsável por 10% da produção nacional de soja. “Quero atuar como consultor  na área e o curso do Senar veio me dar a chance de crescer nessa atividade.” – afirma Rafael.

Alta qualidade

De nível técnico, o curso oferecido gratuitamente pelo Senar, é quase todo a distância. Oitenta por cento das 1.230 horas/aula são online, com os conteúdos  reforçados por videoaulas e apostilas impressas. Os outros vinte por cento da carga horária são presenciais, preenchidos por aulas e provas nos polos da rede e com as chamadas visitas técnicas feitas à fazendas e agroindústrias.

“Elas são fundamentais – comenta Rafael -, para que a gente possa colocar em prática a teoria absorvida nas aulas virtuais e presenciais. Nelas a gente vê a realidade do campo. O curso nos dá todas as ferramentas que precisamos para trabalhar no setor com segurança”.

Rafael observa que a iniciativa do Senar abre as portas de um mercado de trabalho bastante promissor, especialmente para quem vive em regiões mais carentes de mão de obra qualificada.

“Uma iniciativa muito boa que tem que ser bem aproveitada, ainda mais com um curso de alta qualidade e gratuito. O curso é bem completo, tem um corpo de professores excelente e um material de primeira qualidade. Eu comparo a qualidade desse curso a de um curso de graduação de nível superior. Me proporcionou muito conhecimento”.

Alunos do Curso de Agronegócio defendem Monografias nos polos maranhenses

Rafael Coelho diz que o curso veio agregar mais oportunidade de crescimento para o profissional.

Concludentes do Polo de Colinas com equipe do Senar

Vinte e oito alunos do curso técnico de Agronegócio do Senar defenderam suas monografias essa semana sob a supervisão da gerente de Promoção Social e Educação Formal (GEPSEF) do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar),  Yolanda Gomes e da coordenadora  do programa da Rede E-Tec, Thaysa Correia, nos municípios onde estão os Pólos de Colinas, Chapadinha e Balsas.

De acordo com a gerente do Senar todos os alunos que apresentaram seus trabalhos finais obtiveram  boas notas e foram bem avaliados pelos professores Milena Andrea Torres (médica veterinária e doutora em biotecnologia), Luiz Gustavo Lima (engenheiro agrônomo) e Arlene dos Santos da Silva (médica veterinária).

Os alunos concludentes das primeiras turmas da Rede E-Tec no Maranhão, serão diplomados no início de setembro, no município de Colinas. Logo depois da festa de formatura da primeira turma, outros grupos de alunos  defenderão seus trabalhos monográficos em seus respectivos polos. O curso de agronegócio tem duração de dois anos.

“Os alunos  avaliados pelos professores tiveram um desempenho acima do esperado. Podemos dizer que estão aptos a atuar no mercado de trabalho”, destacou Yolanda Gomes, entusiasmada com o programa  e com a qualidade dos novos técnicos em agronegócio.

Rafael Coelho Barros,  natural de São Luís, é servidor público em Balsas e conta que a sua motivação para se inscrever no curso de Agronegócio foi o fato da cidade onde vive respirar o agronegócio. E, também, por querer  atuar no mercado local como consultor nessa área. Elogiou toda a estrutura do curso e destacou a organização e o material oferecido que é muito bem elaborado.

“O curso é excelente, material de alta qualidade, sem contar que todas as disciplinas estão encandeadas e os professores abordaram o conteúdo de maneira bastante compreensível. O curso veio agregar mais oportunidade de crescimento e o profissional vai se destacar no mercado de trabalho. O curso me proporcionou muitos conhecimentos”, destacou, garantindo boas referências sobre o Senar, ao material didático utilizado e aos professores.

Equipe do Senar com turma de concludentes de Chapadinha

Em Balsas, alunos e coordenadores ao final da apresentação dos trabalhos

Sistema Faema/Senar assina TAC para implantação de URT em Fortuna

O ato ocorreu durante o PecNordeste 2017, promovido pela Faec

O sistema Faema/Senar se fez presente no 21º Seminário Nordestino de Pecuária – Pecnordeste, em Fortaleza – Ceará, por meio do vice-presidente do José Hilton Coelho de Sousa, que participou do ato de assinatura do Termo de Ajuste de Conduta (TAC), em Fortaleza, para a execução do projeto “Forrageiras para o Semiárido – Pecuária Sustentável”. A ação ocorreu entre a Confederação de Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA),  Embrapa e a Federação de Agricultura e Pecuária do Estado do Ceará (Faec).

O Seminário Nordestino de Pecuária – é um importante evento do agronegócio promovido anualmente pela Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Ceará – FAEC, pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Rural do Ceará – SENAR/CE, pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil – CNA, pelo Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Estado do Ceará – SEBRAE e pelos Sindicatos dos Produtores Rurais daquele estado.

O programa “Forrageiras para o Semiárido – Pecuária Sustentável”, lançado  durante o Pecnordeste,  terá 12 Unidades de Referência Tecnológica (URTs), em 12 municípios do Nordeste e norte de Minas Gerais: Baixa Grande e Ipirá (BA); Poço Verde (SE); Batalha (AL); São João (PE); Tenório (PB); Lajes (RN); Ibaretama (CE); São Raimundo Nonato (PI); Fortuna (MA); Montes Claros e Carlos Chagas (MG).

Forrageiras

Nestas unidades serão testadas as espécies forrageiras para identificar o melhor comportamento e nível de produção nos Estados que compõem o Semiárido e selecionar as variedades com maior adaptabilidade. Em maio, a CNA e Embrapa fizeram a capacitação dos técnicos que atuarão nas URTs.

Os trabalhos serão conduzidos pelo Instituto CNA e Embrapa Caprinos e Ovinos. Para o bom desempenho de cada Unidade, as Federações cederão os supervisores de campo e serão contratados 12 técnicos  que serão treinados pela Embrapa.

De acordo com o vice-presidente da Faema, até agora foram feitas análises de solo de todas as URTs para as devidas correções e adubações. As plantas selecionadas para o plantio  são: braquiárias, pânicos, leguminosas, palmas, gramíneas, piatã, bufet aridus, corrente, capim tamani e pai d´águas, além das plantas gliricídeas, moringa, palmas forrageiras, milho, sorgo e milheto.

“É de grande importância implantar um projeto como este no Maranhão. Por isso, vale a pena investir para que em um futuro bem próximo tenhamos resultados significativos desse projeto, que só tem a agregar”, disse José Hilton, elogiando a iniciativa.

Scroll To Top