Início / Aconteceu

Arquivos Categoria: Aconteceu

Feed Subscription

Senar treina técnicos com nova tecnologia para usar no projeto ABC Cerrado

Técnicos e coordenadores do projeto ABC Cerrado em Treinamento prático na fazenda Camundá em Santa Rita

 Os técnicos e supervisores do projeto ABC Cerrado acabam de participar do treinamento prático sobre nova ferramenta de nome ISA (Indicadores de Sustentabilidade em Agrossistemas), que será aplicada juntos aos produtores beneficiados pelo projeto.

A visita integra a programação do treinamento ocorrido esta semana na sede do Senar envolvendo 20 técnicos, dentre eles, dois supervisores de campo que recebem orientações com vistas à ampliação de conhecimento para repassar ao produtor rural assistido pelo projeto no Maranhão.

Os vinte técnicos do ABC Cerrado estiveram na fazenda Camundá, em Santa Rita, onde o treinamento foi enriquecido com o uso da propriedade cedida pelo produtor rural César Viana, que juntamente com a sua esposa, Regina Viana, acompanhou todo o trabalho feito sob a coordenação do instrutor do Senar/ES, Leonardo Pirovani, da técnica do Senar/MA, Aline Saldanha e do coordenador nacional do ABC Cerrado, Mateus Tavares.

De acordo com Tavares, o Senar vai dar um salto no retrato da situação das propriedades assistidas nos aspectos sociais, ambientais e produtivos, direcionando o trabalho do técnico e auxiliando o produtor na tomada de decisão de onde é possível melhorar, de maneira mais ampla, a propriedade.

“A gente espera que o uso dessa ferramenta sirva de norteador para a assistência técnica e para o produtor rural também.  A visita à fazenda foi um momento rico, onde dúvidas puderam ser tiradas e muitos exemplos puderam ser feitos”, disse ele, ressaltando que o trabalho dos técnicos no Maranhão e a resposta que o projeto está trazendo é muito boa.

“Temos resultados excelentes em todos os estados assistidos. Aqui temos uma equipe muito comprometida, envolvida e coesa”, acentuou o coordenador.

CNA pede urgência em portaria que viabiliza renegociação de dívidas

A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) pediu ao governo, nesta quinta (14), que tome providências para apoiar os produtores que estão com dificuldades para honrar seus compromissos em operações de financiamento de investimentos, contratadas nos bancos e nas cooperativas de crédito, com recursos repassados pelo BNDES e equalizadas pelo Tesouro Nacional.

Os bloqueios nas estradas pelos caminhoneiros geraram prejuízos ao setor de mais de R$ 6,6 bilhões. Muitos produtores, especialmente nas atividades de avicultura, suinocultura, pecuária de leite e pecuária de corte, estão com dificuldades para quitar os compromissos de 2018 nessas operações com o BNDES.

As instituições financeiras (com exceção do Banco do Brasil) não estão renegociando as dívidas de financiamento, mesmo sendo uma situação prevista no Manual do Crédito Rural (MCR) do Banco Central.

O MCR estabelece nas normativas o direito à renegociação dos financiamentos dessa natureza em caso de comprovada incapacidade de pagamento. A regra vale para dificuldade de comercialização dos produtos, frustração de safra ou eventuais ocorrências prejudiciais ao desenvolvimento das atividades produtivas.

Por esse motivo, a CNA encaminhou nesta quinta (14) um ofício aos ministros da Fazenda, da Agricultura e do Planejamento. No documento, a entidade solicita apoio, em caráter de urgência, à publicação de nova portaria pela Secretaria do Tesouro Nacional para equalização de taxa de juros das operações de financiamento de programas de investimentos, contratadas com recursos repassados pelo BNDES.

Desde janeiro deste ano, quando ocorreu a mudança da Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP) para a Taxa de Juros de Longo Prazo (TLP) como custo financeiro dos financiamentos do BNDES, as prorrogações dos programas de investimento com recursos do BNDES estão impedidas de serem feitas pelas instituições financeiras.

A CNA explica que este impedimento tem acontecido mesmo respeitando o limite de 8% da carteira do BNDES que as instituições financeiras possuem e que é passível de prorrogação com a mesma fonte de recursos, conforme prevê o Manual do Crédito Rural (MCR).

O ofício assinado pelo presidente da CNA, João Martins, aponta que, em razão dos prejuízos acumulados pelo setor, decorrentes de eventos externos às atividades agropecuárias, os produtores estão com dificuldades de pagar as parcelas de investimento com vencimento no mês de junho, e tem procurado as instituições financeiras para o alongamento dos prazos.

As instituições financeiras, entretanto, não podem formalizar as renegociações com recursos do BNDES, mas apenas com recursos da própria instituição. É o caso do Banco do Brasil, que adotou medidas emergenciais para a renegociação com os produtores utilizando recursos próprios.

A CNA orienta os produtores a buscarem a renegociação com as instituições financeiras somente se realmente houver incapacidade de pagamento em função de dificuldades de comercialização dos produtos, frustração de safra ou outras ocorrências que, de fato, tenham prejudicado o desenvolvimento das suas atividades. Os alongamentos de prazos dos financiamentos impactam no limite de crédito dos produtores para a próxima safra.

Os produtores que necessitarem renegociar seus prazos de quitação das parcelas em 2018 em qualquer instituição financeira devem protocolar os pedidos de prorrogação de custeio ou investimentos em duas vias com, pelo menos, 15 dias de antecedência em relação à data de vencimento da parcela. O produtor deve manter uma via com carimbo ou assinatura de recebimento do gerente sob sua guarda.

Para mais esclarecimentos, a CNA recomenda aos produtores que procurem o seu sindicato rural ou a federação de agricultura e pecuária do seu estado.

Veja a entrevista do vice-presidente da Comissão Nacional de Política Agrícola da CNA, Pedro Loyola, sobre o assunto. 

Assessoria de Comunicação CNA
Telefone: (61) 2109 1419
cnabrasil.org.br
twitter.com/SistemaCNA
facebook.com/SistemaCNA
instagram.com/SistemaCNA

Ações de saúde do Senar são levadas a produtores rurais de municípios maranhenses

O superintendente Luiz Figueiredo fala sobre as ações do Senar, durante evento.

Enfermeiras encaminham mulheres ao exame

Entrega de kit de beleza a mulheres que submeteram ao preventivo

Cerca de 300 pessoas dentre homens, mulheres e crianças, receberam atendimento em ações de Promoção Social (PS), realizadas pelo Senar em parceria com as prefeituras de Anapurus e Parnarama, cujo foco principal foi o programa Saúde Preventiva do Homem e da Mulher Rural. O primeiro deles ocorreu em Anapurus, na comunidade Lagoa do Cigano. Já em Parnarama, os eventos foram realizados em Olho D´água do Nôda e Paiol.

Os dois municípios colaboraram com estrutura física e equipe multiprofissional necessárias para dar suporte às atividades que se constituíram em aplicação de vacina contra gripe, para menores de cinco anos e idosos a partir de 60. Também foram feitos teste de aids, hepatite, aferição de pressão, atendimento odontológico, exame preventivo do câncer de colo do útero em mulheres sexualmente ativas e o trabalho de urologista, que atuou com o preventivo de câncer de próstata, em homens acima de 40 anos.

O Programa Saúde da Mulher Rural tem como objetivo contribuir para a mudança e melhoria das condições de vida e saúde integral das mulheres do meio rural, com ações de educação em saúde e ampliação do acesso aos serviços disponíveis no Sistema Único de Saúde (SUS), em parceria com Secretarias de Saúde e prefeituras municipais.

Por outro lado, o Programa Saúde do Homem Rural tem como objetivo gerar oportunidades de educação para a promoção da saúde e prevenção de doenças sexualmente transmissíveis nos homens do meio rural, contribuindo assim para a melhoria da qualidade de vida.

As ações de Promoção Social do Senar reúnem um conjunto de atividades com enfoque educativo, que possibilita ao produtor rural e às suas famílias a aquisição de conhecimentos, o desenvolvimento de habilidades pessoais e sociais e mudanças de atitudes, favorecendo uma melhor qualidade de vida e participação proativa na comunidade rural.

Procedimentos

Em Parnarama a programação contou com a orientação sobre políticas públicas na agricultura, realização de DAP (Declaração de Aptidão ao Pronaf), assistência psicológica, além de palestras focadas nos procedimentos realizados no local.

Participou pelo Senar o superintendente Luiz Figueiredo e a coordenadora de promoção Social (PS) Yolanda Gomes. Da prefeitura estavam: o vice-prefeito Gilson Moura, a secretária de Políticas para as Mulheres Shirlene Costa, que representou o prefeito Raimundo Silveira, na oportunidade.

Estiveram presentes ainda, os secretários de agricultura, de educação e o de assistência social. O presidente do Sindicato dos Produtores Rurais de Caxias, Benedito Moura, lideranças rurais e convidados do campo e da cidade, foram prestigiar o trabalho que mobilizou a localidade com atenção básica de saúde e assistência social.

Para a coordenadora de Programas Sociais (PS) do Senar, Yolanda Gomes, os eventos que aconteceram até agora em Anapurus e Parnarama atenderam na plenitude as expectativas do Senar.

“Aquela mulher que nunca se submeteu ao preventivo ou que por algum motivo havia deixado de fazê-lo, saiu do evento consciente da sua importância e da necessidade de realização do exame”, disse ela, lembrando que além do preventivo, a equipe de profissionais de Saúde ministrou palestra sobre a conscientização.

“Essas atividades são gratificantes para nós que fazemos parte da secretaria de Saúde de Parnarama, assim como a parceria com o Senar que atende a população com um serviço de qualidade, não somente nessa área, mas também na educação e em outros segmentos essenciais para a população”, destacou o secretário de Saúde Luís Barbosa.

Para a produtora rural de 44 anos e mãe de três filhos, Orismar da Silva Lima, o exame chegou no tempo certo de atender as suas necessidades. “A gente gosta porque os serviços de saúde são difíceis para quem mora longe e quase não há tempo para irmos à cidade”.

Outra que também ficou satisfeita com a iniciativa foi Maria de Jesus Ribeiro, de 60 anos e mãe de um filho. “Gosto sim, porque traz saúde para a população. Nós precisamos muito deste tipo de atendimento”, disse ela agradecida ao Senar e à prefeitura.

CNA divulga pesquisa sobre produção e venda de alimentos artesanais e tradicionais

Brasília (06/06/2018) – Mais de 80% dos produtores de alimentos artesanais e tradicionais recomendam a atividade para quem ainda não está no segmento. Esta é uma das conclusões da pesquisa sobre produção e a venda de alimentos artesanais realizada pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA).

A superintendente técnica adjunta da CNA, Natália Fernandes, apresentou o resultado do levantamento nesta quarta (6), durante o “Seminário Agro em Questão – Alimentos Artesanais e Tradicionais”, realizado na sede da entidade, em Brasília.

“Por mais que seja um setor que enfrente muitos desafios, os produtores acreditam no potencial de crescimento e recomendam a atividade para outros produtores”, declarou Natália.

 
Natália Fernandes, superintendente técnica adjunta da CNA

Entre os meses de abril e junho, a CNA realizou disponibilizou um formulário online com 30 perguntas relacionadas ao perfil da propriedade, tipo de alimento, características de produção e comercialização, capacitação, anseios e percepções.

A pesquisa constatou que 64% são produtores artesanais e 38% ainda não trabalham com esses produtos, mas têm interesse em produzir esses alimentos.

 “Identificamos que está crescendo a procura por esses produtos. Por isso, temos interesse em conhecer a realidade desses produtores para nos aprofundarmos no assunto”, destacou Natália.

A maior parte dos produtores que fizeram parte da pesquisa está na região Sudeste, com 35,5%, seguida pelas regiões Centro-Oeste, Norte e Sul. São produtores principalmente de queijos, geleias e compotas. Os participantes que responderam a pesquisa também produzem licor, café, defumados e polpa de frutas.


Produtores artesanais mostram seu trabalho no Agro em Questão

Quando perguntados sobre capacitações, 61% responderam que fizeram preparação para trabalhar de forma artesanal. Os tipos de cursos mais citados foram: boas práticas, processamento, produção e manipulação de alimentos e tecnologia de leite.

A grande maioria utiliza a mão-de-obra familiar na produção, segundo 82% dos pesquisados. Deste total, 40% utilizam em médias duas pessoas da família e 53% não têm mão-de-obra contratada.

Quanto à comercialização, a grande maioria é realizada por encomenda (74%), enquanto 57% dos itens são vendidos em feira livre, seguidos por venda direta na propriedade (48%), internet (29%) e supermercados (24%).

De acordo com a superintendente técnica adjunta da CNA, os dados gerados na pesquisa possibilitarão o início de um trabalho para fortalecer o setor de produção artesanal e tradicional. “Além disso, a realização do seminário servirá para encontrarmos outros motivos para trabalhar em prol do desenvolvimento da produção desses alimentos”, concluiu.

Assessoria de Comunicação CNA/SENAR
Telefone: (61) 2109 1419
cnabrasil.org.br
senar.org.br
twitter.com/SistemaCNA
facebook.com/SistemaCNA
instagram.com/SistemaCNA
twitter.com/SENARBrasil
facebook.com/SENARBrasil

Agrodiálogos do Senar reúne mais de trezentas pessoas em Cantanhede

O projeto discute com produtores rurais alternativas e  investimento em tecnologia no campo

Raimundo Coelho, da Faema, no encerramento do Agrodiálogos em Cantanhede.

Empresário e ex-secretário da Sagrima, Márcio Honaiser, fala da importância da Agricultura para o estado.

Mais de trezentos produtores rurais acabam de participar do seminário Agrodiálogos  do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), em Cantanhede. O evento  teve a organização da entidade em parceria com o Governo do Estado por  meio da Secretaria Estadual  de Agricultura, Pecuária e Pesca (Sagrima), com apoio de sindicatos, igreja católica local, associações e lideranças comunitárias rurais.

Cerca de 40 localidades do município, foram representadas na solenidade, motivadas por mais conhecimento acerca do empreendedorismo e aprendizado para o seu negócio. Muitos deles encontram-se pleiteando recursos junto à crédito fundiário pelo Incra (áreas de assentamento) e linhas de crédito junto a bancos oficiais, a fim de organizar as suas produções. O Agrodiálogos tirou dúvidas e abriu perspectivas para quem participou.

O projeto Agrodiálogos tem por  objetivo favorecer o homem do campo por meio de palestras  sobre inovações tecnológicas, educação rural, empreendedorismo, formação profissional rural, assistência técnica, organização do setor rural e participação politica. A iniciativa visa incentivar o pequeno e médio produtor rural, para melhor empreender e fazer crescer o seu negócio.

Compromisso

Em Cantanhede, a  abertura foi feita pelo superintendente  de Apoio à Produção Agropecuária da Sagrima, Paulo Coelho, responsável pela organização do  evento, seguida pelo representante da  Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras da Agricultura Familiar do Estado do Maranhão (Fetraf), Ruan Amorim, que tratou do tema Crédito Fundiário.

A programação envolveu o superintendente do Senar, Luiz Figueiredo, que discorreu sobre as ações da entidade voltadas para a capacitação do produtor rural em todo o estado. Também colaborou com o seminário, o empresário e ex-secretário da Agricultura do Estado, Márcio Honaiser, que falou do compromisso do atual Governo para com a produção rural, ressaltando a parceria com o sistema Faema/Senar, em diversos programas.

Finalizou a reunião, o presidente do sistema Faema/Senar, Raimundo Coelho falou dos serviços prestados pelas entidades que representa, destacando conhecimento e  aplicação de tecnologia no campo e citou o programa de Assistência Técnica e Gerencial (ATeG), e de parcerias com o Governo Estadual, no sentido de fazer prosperar as propriedades atendidas pelo  programa Mais Produção.

“É um projeto que traz informações ao produtor rural. É muito importante o trabalho que estamos fazendo porque dele, falamos da  necessidade que temos de transferir tecnologia para a pequena e média produção de Cantanhede e do todo o estado”, disse Raimundo Coelho, após a sua apresentação.

Na opinião de Márcio Honaiser, o Agrodiálogos foi muito produtivo em Cantanhede. “Ver tantos produtores rurais, associações e sindicatos reunidos em torno de projetos de desenvolvimento para o setor produtivo, discutindo os desafios e oportunidades é realmente um sinal de que estamos no caminho certo”, pontua ele.

Paulo Coelho analisa o encontro com os produtores em Cantanhede, ressaltando que é necessário que uma análise sobre  o desenvolvimento rural do município e de todo o Estado.

“O Senar está de parabéns pelo projeto Agrodiálogos que traz palestrantes capacitados para discutir essas políticas públicas com os produtores rurais tanto para Cantanhede  quanto para todo o Maranhão – que  só tem a ganhar com o projeto”, destacou Paulo Coelho.

Paulo Coelho, Márcio Honaiser e Raimundo Coelho, no seminário Agrodiálogos em Cantanhede.

Mais de trezentos produtores rurais, participaram das palestras que trataram de assuntos importantes para o setor rural.

Scroll To Top