Início / Aconteceu

Arquivos Categoria: Aconteceu

Feed Subscription

Senar Maranhão transmite conhecimento em Assistência Técnica para Amazonas e Piauí

Érika Sousa, do Senar Amazonas, em visita a propriedades da Grande Ilha de São Luís.
Silvio Brito, gerente de ATeG do Senar Piauí, acompanha relatórios com equipe técnica do Senar/MA.

O Senar Maranhão tem se tornado vitrine para alguns estados brasileiros no que tange ao programa de Assistência Técnica e Gerencial (ATeG). Os gerentes de ATeG do Amazonas e do Piauí, por exemplo, estiveram em visita recentemente à sua sede, em São Luís e se reuniram com a equipe maranhense com vistas a trocar experiências e conhecer de perto o trabalho ora desenvolvido.

Toda essa movimentação tem sido em função do  resultado do programa Mais Produção do Governo do Estado, executado pelo Senar – referência na área de assistência técnica, uma vez que atendeu na primeira fase 1.550 propriedades e agora na segunda, se estendeu para 1.700, com foco nas cadeias de carne e couro, leite, arroz, hortifruticultura, aquicultura e agora, atendendo a demanda da Grande São Luís – suinocultura.

Mas, o ABC Cerrado também tem feito história na produção agropecuária do estado. Atendendo atualmente mais de 400 produtores rurais nas tecnologias Recuperação de Pastagens DegradadasIntegração Lavoura e Pecuária, Florestas Plantadas e Sistema Plantio Direto. Em parceria com a Embrapa e o Banco Mundial, O ABC Cerrado se consolidou por meio de ações denominadas Dia de Campo, capacitações e assistência técnica a produtores rurais.

Para Érika Sousa Silva, do Amazonas, a motivação maior de vir conhecer o trabalho, foi a larga experiência que a regional do Maranhão tem com a ATeG proposta pelo Senar. Segundo ela, o fato de ter participado do programa Mapito, e desenvolver atualmente os programas ABC Cerrado e o Mais Produção, fortalece a entidade. Ela aponta como um dos diferenciais, a disponibilidade do superintendente Figueiredo em direcionar sua equipe técnica para essa breve capacitação.

“O que me chamou atenção foi a quantidade de técnicos e propriedades assistidas pela regional. E principalmente o empenho e capacidade de seus supervisores. Os produtores estão bem felizes com a assistência prestada e já veem evolução e crescimento produtivo de sua propriedade, além da confiança deles para com os representantes do Senar”, observou ela, agradecendo pela receptividade de todos da Regional do Maranhão.

Outro também satisfeito é o gerente de ATeG do Piauí, Silvio Coelho Brito também manifestou satisfação em conhecer as ações do Senar Maranhão dentro e fora das propriedades rurais atendidas pela equipe técnica da entidade.

“Gostei muito, foi muito produtivo. Tirei dúvidas em relação ao funcionamento da plataforma virtual. Na verdade, esse treinamento chegou no melhor momento. Volto agora mais seguro e preparado e com a sensação de boas relações construídas”, acentuou o piauiense.

O superintendente Luiz Figueiredo destaca que o trabalho de ATeG do Senar Maranhão  que tem rendido bons frutos..

“Isso graças ao resultado promissor que tem criado diferencial. Além do que a gente fica ainda   gratificado quando técnicos de   outras Unidades Regionais estão vindo aqui, para acompanhar as experiências que tem feito a diferença”, disse ele.

“O Maranhão, iniciou a ATeG com o Piauí e o Tocantins via programa Mapito em 2015. De lá pra cá, não parou mais. Com isso, a gente já desenvolveu o ABC Cerrado e agora, mais recente, o programa Mais Produção. Ganhamos experiência e estruturamos a Regional. E os outros estados como estão iniciando agora, querem fazer essa troca de experiência e de conhecimento”,  ressaltou o gerente de ATeG do Senar, Epitácio Rocha, acrescentando que essa iniciativa é uma alegria para todo o corpo de profissionais que faz o Senar Maranhão.

Senar acompanha visita de produtores à Unidade Produtiva Hort Canaã

Luiz Figueiredo, ao lado do técnico Jorge Mesquita e do produtor rural de Nova Demanda.

Palestra ministrada durante visita ao assentamento Horti Canaã.

O Senar acompanhou de perto, um grupo de dezoito produtores rurais moradores do assentamento de responsabilidade da Eneva, denominado Nova Demanda, do município de Santo Antônio dos Lopes, durante visita ocorrida esta semana ao também assentamento assistido pela empresa, o Hort Canaã.

A Unidade Produtiva fica localizada no município de Paço do Lumiar, onde são desenvolvidos projetos de plantação de hortaliças, frutas em modelo de produção agroecológica, sob a supervisão da analista de responsabilidade social, Elizabeth Teles.

Os pequenos produtores rurais do assentamento Nova Demanda são assistidos pelo Senar, desde o ano passado, quando foi contratado pela Eneva, empresa brasileira integrada de energia com negócios complementares em geração, exploração e produção de hidrocarbonetos. A Eneva é responsável pela relocação dos moradores e reimplantação de suas atividades rurais, com foco na lucratividade para garantir o sustento da família.

Desde que foram realocados (ano passado), vinte e oito cursos de qualificação profissional e assistência técnica foram promovidos em 18 meses na área que comtempla sessenta e cinco moradores. As qualificações profissionais compreendem os cursos de Olericultura Básica, Avicultura, Operador de Tratores e Implementos Agrícolas, Piscicultura, Suinocultura e outros.

Vocação

A escolha por participar deste ou daquele curso, teve como principal critério a vocação de cada participante, sendo dado oportunidade de participação de qualquer curso a todos os integrantes da comunidade.

Todos os moradores de Nova Demanda têm sido acompanhados pelo técnico de campo do Senar, Jorge Mesquita. Uma forma de garantir, segundo o superintendência do Senar, aprendizagem por meio de práticas modernas com implementação de tecnologias essenciais para incrementar os níveis de produtividade e renda na atividade rural.

De acordo com o Gerente de Assistência Técnica e Gerencial (ATeG), Epitácio Rocha, é um trabalho que tem dado certo na medida em que o técnico do Senar tem acompanhado o dia a dia dos produtores rurais, nessa nova etapa que requer inciativa e determinação.

“A participação do técnico do Senar é essencial para que os produtores rurais se sintam seguros ao escolher e desenvolver a sua atividade, neste novo espaço de produção”, disse ele.

Jorge conta que antes da implantação das ações do Senar na localidade Demanda, os produtores viviam basicamente da agricultura de subsistência (arroz, milho e feijão) e pequenas criações como galinha caipira para consumo familiar. Segundo ele, a comunidade tinha dificuldade até para o uso de água potável. Mesmo assim, conseguimos implantar algumas hortas.

“Na nova Demanda, conseguimos quebrar paradigmas. Hoje já temos criação de frangos para corte, cultivo de hortaliças, ovinos e fruticultura. Além disso, incentivamos outras atividades lucrativas. Todos os avanços foram conseguidos graças à intervenção do Senar”, atestou o técnico responsável pelas intervenções no local.

O Analista de Responsabilidade Social e de Relacionamento de Comunidade da Eneva, Sandro Moreth Costa, diz que a parceria entre o Senar e a empresa tem sido uma parceria de sucesso.

“Já fizemos parceria com outras entidades, mas ao iniciar o trabalho com o Senar, gostamos e notamos que as dificuldades encontradas para trabalhar com a comunidade Demanda sempre foram encaradas de perto e superadas na grande maioria das vezes. Vimos muita resistência em assimilar novas tecnologias e o Senar entrou nesse momento turbulento e foi fazendo um trabalho de formiguinha, capacitando e criando consciência. Os cursos foram todos muito bem avaliados. O trabalho de assistência técnica está sendo muito bem aplicado. O técnico é bastante empenhado e só tenho a elogiar e agradecer”, ressaltou, apostando em novas parcerias no futuro.

Para o produtor Edcarlos Melo Marinho, de 20 anos de idade, solteiro, integrante da comitiva de visitantes, a presença do Senar tem sido de grande importância para todos na comunidade.

“A presença do técnico do Senar, ajuda muito, auxilia a gente e tirar todas as nossas dúvidas”, disse assegurando que a sua produção aumentou consideravelmente nos plantios de hortaliças e frutas, aumentando com isso, os locais de venda e a renda para sua família.

Tutores e facilitadores do programa Rede E-Tec do Senar são capacitados

Profissionais são treinados para empreender novas metas neste semestre

“Gostei bastante. Foi muito produtivo. Tirei dúvidas em relação ao funcionamento da plataforma virtual. Na verdade, esse treinamento chegou no melhor momento. Voltamos mais seguros e preparados e à altura do cargo a que nos confiaram”, disse Patrícia Paiva, instrutora do polo de Barão de Grajaú, após o Encontro Pedagógico com Instrutores/facilitadores presenciais da Rede E-Tec, ocorrido esta semana, na sede do Senar.

Com iniciativa da Coordenadoria de Educação Formal, o Seminário tratou sobre Educação à Distância (EAD) e as peculiaridades do curso técnico em Agronegócio, desenvolvidos pelo Senar em parceria com o Ministério da Educação – MEC, nos municípios com maior vocação para o agronegócio no estado, como por exemplo: Imperatriz, Chapadinha, Colinas, Balsas, Açailândia, Barão de Grajaú, Caxias e Pastos Bons. O evento reuniu vinte e cinco docentes que integram o quadro de instrutores/facilitadores do programa.

Outro grupo também foi capacitado em seguida. Trata-se dos Coordenadores e Secretários de Pólos presenciais do mesmo programa. Neste, o objetivo foi alinhar os procedimentos tanto da secretaria quanto das coordenações dos polos.

O programa Rede E-Tec foi implantado pelo Senar, no Maranhão, em 2015, já tendo formado três turmas de técnicos em agronegócio, através dos polos de Chapadinha, Colinas e Balsas. Ao final deste ano, novos técnicos em Agronegócio serão lançados no mercado pelo Senar, quando haverá a formatura de três novas turmas.

“Trabalhar com dinamismo nos encontros presencias, motivar à aprendizagem autônoma do educando, inferir as metodologia ativas na educação profissional e complementar os encontros presenciais através de visitas técnicas”, é dessa forma que Cícero Soares garante que vai aplicar as informações transmitidas durante a Capacitação para coordenadores e secretários de polos da Rede E-Tec, em que participou esta semana.

O superintendente, Luiz Figueiredo prevê a ampliação de polos para o próximo ano, incluindo municípios da Baixada Maranhense. “Os gestores e coordenadores do programa Rede e-Tec do Senar, garantem que no próximo ano, estaremos oferecendo pelo menos umas 180 vagas no estado e, possivelmente, criando mais dois polos presenciais, sendo um deles na Baixada Maranhense, que é uma região muito carente desse tipo

Presidente da CNA e ministro da Segurança Pública anunciam ações para combater a criminalidade no campo

Brasília (08/08/2018) – O presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), João Martins, e o ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, anunciaram nesta quarta (8), na sede da entidade, uma série de ações para combater a criminalidade no campo.

Martins e Jungmann assinaram um protocolo de intenções que prevê que o Grupo de Trabalho Bilateral, criado pelo ministério em parceria com a CNA, realize estudos, trace um diagnóstico do problema e proponha soluções conjuntas de combate a crimes, como roubos de gado, assaltos e furtos nas fazendas.

O ministro aproveitou o evento e convidou a CNA para participar do Conselho Nacional de Segurança Pública e Defesa Social que será instalado ainda neste mês. “A criminalidade no campo sempre foi um vazio na nossa história. Não temos estatísticas desses crimes, logo, não temos políticas de prevenção e combate, muito menos ferramentas. Precisamos focar as ações e trabalharmos juntos”, disse.

O presidente da CNA afirmou que com o passar dos anos os produtores rurais foram se tornando cada vez mais visados por quadrilhas especializadas em roubo de gado, de maquinários e de defensivos agrícolas.

“Há muito tempo que a Confederação se preocupa com essa situação. Em 2017 criamos o Observatório da Criminalidade no Campo para levantar dados de ocorrências nas fazendas. E agora buscamos essa parceria com o Ministério da Segurança Pública para dar continuidade às ações”.

Martins enfatizou ainda, que devido ao medo, muitos produtores rurais não denunciam os crimes no campo. “Na medida em que nós dermos condições de protegê-los, e mostrarmos que a denuncia terá resultado, acreditamos que eles denunciarão”.

Raul Jungmann afirmou que com a parceria o setor terá uma política de combate ao crime e promoção da segurança no campo. “Precisamos garantir paz e tranquilidade ao homem que produz e exporta alimentos”.

Dentre os objetivos do protocolo de intenções assinado pelas duas instituições estão a inclusão do tema prevenção e controle da criminalidade no campo no Plano Nacional de Segurança Pública e Defesa Social e a promoção da melhoria na qualidade da gestão das políticas sobre segurança pública e defesa social nas áreas rurais.

A coordenadora do Grupo de Trabalho Bilateral, delegada Sandra Mara Guaglianoni Neto, fez uma apresentação sobre os objetivos do colegiado e informou que os dados de crime no campo já estão sendo levantados junto aos Estados. “Nesse primeiro momento já percebemos que os defensivos agrícolas são o grande alvo de organizações criminosas”.

O secretário-executivo do Instituto CNA, André Sanches, destacou o trabalho do ICNA, que está desenvolvendo uma pesquisa de vitimização nas áreas rurais do país. “Nós vamos a campo para identificar a vulnerabilidade e a realidade dos produtores que estão sendo vítimas. A partir disso, teremos um amplo diagnóstico e poderemos sugerir medidas para subsidiar as autoridades para que possam controlar os crimes”.

Já o consultor em Segurança do Instituto CNA, Rodney Miranda, citou exemplos de alguns estados que já possuem patrulhamento rural e delegacias especializadas para atender esse tipo de crime. “Acreditamos que esses modelos podem ser adaptados para outros estados”.

Observatório – Com os dados da plataforma, o ICNA elaborou um estudo, que aponta o grave quadro de insegurança no meio rural e apresenta propostas para o combate e o efetivo enfrentamento de crimes que atinge produtores, familiares e trabalhadores rurais.

Para ler o estudo acesse: http://cnabrasil.org.br/estudos/estudo-sobre-criminalidade-no-campo

Assessoria de Comunicação CNA/SENAR
Telefone: (61) 2109 1419

flickr.com/photos/canaldoprodutor
cnabrasil.org.br
senar.org.br
twitter.com/SistemaCNA
facebook.com/SistemaCNA
instagram.com/SistemaCNA
twitter.com/SENARBrasil
facebook.com/SENARBrasil

Senar firma parceria com prefeitura de Grajaú para capacitar produtores rurais

Diretoria do Senar, prefeito e assessor de Grajaú.

Assinatura pelo presidente do sistema Faema/Senar, José Hilton

O sistema Faema/Senar acaba de firmar parceria com a prefeitura de Grajaú para a realização de ações de capacitação profissional rural.  A solenidade da assinatura do protocolo de intenções, ocorreu na sede do Senar, na presença do presidente em exercício do sistema Faema/Senar, José Hilton Coelho de Sousa, do superintende Luiz Figueiredo e do assessor técnico, César Viana.

O prefeito Mercial Arruda, estava acompanhado   pelo superintendente de Articulação Política de Grajaú, Jamilton Ribeiro, que na ocasião realçou, juntamente com o gestor municipal, os trabalhos de destaque realizados no segmento rural daquela região.

No documento assinado por ambas as partes, destaca-se a oportunidade para implantação do programa Rede E-Tec Brasil, qualificação dos pequenos e médios produtores rurais da região nas modalidades da Formação Profissional Rural (FPR) e da Promoção Social (PS).

A iniciativa prevê ainda, a instituição de projetos específicos de Assistência Técnica e Gerencial (ATeG) a serem aplicados em propriedades rurais de Grajaú a exemplo de outros municípios já contemplados pelo programa ATeG, com atendimento específico para cadeias produtivas de interesse do município. O objetivo, segundo a equipe da prefeitura, é garantir o bem estar sócio cultural dos produtores e trabalhadores rurais de Grajaú, bem como contribuir para a elevação da renda do homem do campo e de seus familiares.

O gestor do sistema Faema/Senar, José Hilton Coelho de Sousa disse ser de grande relevância  a proposta não somente para o Senar, mas também para a região que vai receber conhecimento por meio do cursos e programas.

“Sabemos o potencial agrícola do município de Grajaú e realmente é uma demanda legítima. Educação é o maior investimento que se pode empreender aos seus moradores”, frisou ele.

Para o superintendente do Senar Luiz Figueirêdo, ratifica a certeza que o Senar fara um bom trabalho no município de Grajaú, ajudando a melhorar cada vez mais o desempenho produtivo do município.

Agradecido pela parceira, o prefeito Mercial Arruda mostrou-se aberto à nova experiência que será introduzida aos produtores rurais através da expertise do Senar em Grajaú.

“É um trabalho importante, especialmente para os produtores rurais que terão a chance de aumentar a produção do município. Qualificando-os, também, estaremos investindo no município para que haja retorno para todos”, disse agradecendo a diretoria da entidade.

Scroll To Top